sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Feliz Natal e um 2010 muito melhor!!

Esse provavelmente será o último post de 2009.
Aliás, que esse é o primeiro Natal deste blog, e que particularmente para mim foi um ano de muita construção e aprendizado, infelizmente sem muitos frutos, mas, numa avaliação mais minuciosa, um ano bastante positivo em relação ao meu crescimento pessoal, intelectual e até mesmo espiritual.
Neste blog vocês puderam observar certos pontos de vista que eu aprendi a ter ao longo da minha vida. Recebi muitos comentários do tipo, "era isso que eu precisava ouvir" ou "você me fez pensar de maneira diferente"... Enfim, foram inúmeros os bons comentários e digo que sinceramente nunca esperei por nada disso. Meu blog quase anônimo fazia parte de um plano de terapia feito por mim mesmo e que acabou dando muito certo e que no final, acredito que pude pelo menos confortar algumas pessoas em algum momento e isso é realmente muito gratificante.
Fica aqui meu agradecimento para todas as pessoas que acompanharam o "Ponderamentos Meus" ao longo desse ano e que se fizeram extremamente importantes para a manutenção daqui. Espero que estejamos todos juntos novamente em 2010 e desejo a todos um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de paz, amor, saúde, esperança e justiça!

Um grande abraço,
Tchezar

Obs.: Deixo aqui uma estrela dourada para iluminar o novo ano que vem chegando a todas essas pessoas que de alguma maneira, umas mais e outras menos, fizeram de mim uma pessoa felizarda por saber que essas pessoas me acolheram como seu amigo. Quem me conhece sabe que não sou de citar ninguém, mas esse ano resolvi abrir meu coração para todos pois aprendi que precisamos ser sinceros com os outros e principalmente conosco e eu seria um falso caso não falasse nada. Vocês todos moram no meu coração!








segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Egoísmo


O egoísmo é o pior dos males e além de tudo: pode ser contagioso! Proteja-se!

Eu não consigo entender porque o ser humano tem que ser tão egoísta.
Talvez, se andássemos com um espelho a nossa frente 24 horas por dia o cenário poderia se tornar outro.

Acredito que a falta de visão é um fator determinante. Andamos feito cavalos, vendo tudo por um lado só. Pensamos na nossa felicidade e bem estar antes de tudo a qualquer preço e esquecemos de que ao invés de querermos tudo só para nós mesmos, podíamos dividir e num futuro até somar...

O egoísmo faz parte do homem. Isso é notório. Mas será que você consegue perceber isso em si mesmo?

Muitos de nós somos exímios egoístas e nem damos conta disso.

Analise pequenos atos. Só o fato de não compreender outra pessoa já te torna egoísta por você acreditar que só a sua linha de raciocínio é a correta.Muitas vezes aprisionamos pessoas que amamos inconscientemente pelo excesso de zelo pela mesma. Enfim, há muitos exemplos de ações que caracterizam o egoísmo.

Pondere: Seja consciente e preste atenção. O mundo não gira em torno de nós. Nós é que giramos em torno dele.

Em breve estarei expondo mais idéias sobre o assunto para discutir-mos.


sábado, 12 de dezembro de 2009

Cantiga de amor


Luz divina que me trás as cores
De tão bela és o meu mirante
Pétalas frágeis, simetria e alegria

Num sorriso é a tradução do amor


E sobre campos me distraio em ti

A liberdade alçando vôos distante do chão

Em passos lentos, prosas e olhares

Em pequenos versos, esse é o meu amor


E de nossas mãos, a veracidade

Nossas almas cantando a paixão

Sem laços, a verdadeira união

Oh, tão lindo! Esse é o nosso amor

by tchezar

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Dia Mundial do Combate a Aids

1º de Dezembro: Dia Mundial de Luta contra a AIDS.
E o PonderamentosMeus apóia esta causa.




Todos sabem do terrível problema que é a Adis. A maioria já sabe ou tem idéia de como não ser contagiado e como ocorre a transmissão do vírus. Quantos se cuidam de verdade? Quantos colaboram?

Solidariedade e compaixão. É tudo o que peço esse ano. O fato de alguém ser portador do vírus HIV não o torna nenhum monstro... Ele continua sendo um ser humano, como qualquer outro e, sendo assim, merece amor, carinho e respeito.

Vamos acordar! Chega de preconceitos (de todas as espécies). É hora de deixar o orgulho e o egoísmo de lado. O mundo está doente e precisa de nós.
Vamos dar as mãos nunca grande corrente de paz e amor!

Um grande abraço,
Tchezar

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Uma breve lição do monge...


Um tal senhor Zangão, um homem muito correto, honesto, de vida estável, vivia numa pequena cidade ao lado da humilde casa de um monge.

Todas as manhãs o Sr. Zangão saía para comprar pães na padaria e um jornal. Sempre avistava um tal monge, seu vizinho, cultivando flores em seu quintal. Apesar de serem vizinhos, os dois nunca trocaram uma palavra, a visto que o Sr. Zangão não era muito de conversa.

O monge, por sua vez, sempre avistava seu vizinho “truculento” discutindo com outros moradores do bairro, geralmente clientes de sua pequena mercearia.

O Sr. Zangão, de tão correto, não se continha ao ver coisas erradas ao seu redor. Se irritava facilmente com qualquer um e discutia como se jogasse pedras em seus “adversários”.

Certo dia, o monge, após ver o Sr. Zangão mais irritado do que o comum,trocar algumas palavras:

- Bom dia senhor, como vai?
- Tudo bem. – Respondeu o Sr. Zangão com certa arrogância, mas sem desrespeitar o monge.

- Desculpe a insistência, mas o senhor parece bastante zangado hoje. Será que posso ajudar? – Insistiu o monge.

- O que é que você quer? Não aconteceu nada. Está tudo bem. Aliás, estava até você aparecer! – Retrucou o Sr. Zangão.

- Posso lhe fazer uma pergunta? Porque o senhor age dessa maneira? Eu só tinha lhe feito uma simples pergunta. – Disse o monge de maneira suave.

- Olha, me desculpe, mas parece que todos nessa cidade não gostam de honestidade. Sou um homem correto, não gosto de coisas erradas e me irrito mesmo com isso. Nunca devi nada para ninguém, nunca roubei, nunca matei. Então cuide da sua vida que eu cuido da minha, está certo? Até logo! – Finalizou o Sr. Zangão.

Nesse momento, o monge, calado entregou-lhe um ramo de flores. Eram lírios da paz, muito bem cultivados, por sinal, e se retirou para sua residência.

O Sr. Zangão, ainda perturbado jogou as flores no sofá de sua casa. Não entendeu o porque das flores, chegou até a pensar que o monge era homosexual.

Na manhã seguinte, o senhor Zangão viu os lírios em seu sofá, ainda impecáveis. Não lembrava se havia agradecido ao monge, mas como era bem educado, resolveu que se o encontrasse, agradeceria o presente e saiu para comprar seus pães e seu jornal, como de rotina.

Ao voltar para casa, avistou o monge cultivando suas flores, como de costume. Resolveu que agradeceria a gentileza.

- Hey monge, bom dia! Ontem eu estava bastante zangado, acabei não lhe agradecendo o presente. Muito obrigado. Até logo!

- Não precisa agradecer, meu caro. Foi apenas um pedido de paz entre vizinhos. Não tenho nada contra o senhor e acredito que o senhor também não tenha nenhum problema em relação a minha pessoa. Aliás, ontem foi a primeira vez em que nos falamos e acho que o primeiro contato não foi dos melhores. – Respondeu o monge com uma breve gargalhada.

- Realmente, me desculpe! É que eu ando vendo tantos problemas, tanta gente desonesta. O mundo já não é mais o mesmo. Não tenho suportado. – Disse o Sr. Zangão.

- Pois é, meu amigo. E o que o senhor faz para mudar? – Perguntou o monge.

- Pago minhas contas em dia, procuro dar exemplo com minha honestidade, mas as pessoas não percebem isso, só querem saber de tirar proveito umas das outras. Nem parece que somos todos filhos do mesmo Deus. – Respondeu o Sr. Zangão.

- Realmente, o senhor tem razão. Mas acredito que não esteja agindo da melhor forma para mudar alguma coisa. Veja bem o que aconteceu ontem. Eu lhe fiz uma pergunta e você me respondeu com pedras e rancor. Alimentou uma guerra que não precisava acontecer. E com o que eu lhe retribuí? Com um sorriso e um ramo de lírios da paz. Não precisei atacá-lo em momento algum e hoje estou realmente feliz por vê-lo aqui em meu portão, com toda essa gentileza. – Disse o monge.

- Realmente, acho que não tenho feito o certo. O senhor me desarmou com simples flores. Eu estava cego de rancor e só ando atraindo mais rancor. – Disse o Sr. Zangão em tom melancólico.

- Não fique chateado, meu amigos. Todos estamos aqui para aprender a cada dia. Espero que o senhor tenha entendido. Não devemos combater fogo com fogo, pedras com pedras. Não é revidando ou atacando que ganhamos uma batalha. Aliás, não estamos no mundo para batalhar. Estamos aqui para proliferar amor, paz e amizade. Acredito que uma flor seja um instrumento muito mais eficiente do que uma pedra para tal. Sejamos felizes. Do que adianta cultivar tanto rancor? Paz no coração, meu amigo! E tenha um bom dia. – finalizou o monge.


"Se você quer ser feliz, cultive os bons sentimentos, desarme o rancor entregando o amor, combata a raiva mostrando a felicidade. Cuide do próximo como você gostaria de ser cuidado."

sábado, 21 de novembro de 2009

Uma lição de vida


Sei que ando devendo aqui no blog.
O tempo anda curto, a inspiração já não é grande e o comodismo começa a bater a minha porta (pausa para respirar, pavor)...
Aliás, que me dei conta disso essa manhã, ouvindo um disco dos Mutantes que eu não ouvia há tempos...

Estava distraído, simplesmente contemplando o passar do tempo... Panis et Circenses era a música que fazia minha trilha sonora naquele momento. Batia os pés no chão marcando o tempo da música e sofejava a letra bem de leve enquanto aos poucos ia prestando mais atenção na mensagem dessa canção.

Caiu a ficha. Não sei porque, mas fiquei sem reação naquele momento, quando percebi que eu estava virando uma "pessoa da sala de jantar...".

Para quem não conhece a música, vou dar uma breve explicação da minha interpretação.
Panis et Circenses é uma expressão vinda do latim "Política do pão e circo" e foi composta por Caetano e Gil no período Tropicalista, durante a Ditadura Militar.
Na época foi uma crítica do que o governo fazia com a população, que pregava o entretenimento e a comida e as pessoas não podiam se manifestar publicamente, divulgar suas idéias, e acabavam por aceitar as limitações impostas pelos militares, calados, sem expressão, como simples marionetes.

Essa música foi composta há quase 50 anos, mas, preste bastante atenção e veja que, apesar da nova política liberalista, continuamos vivendo nesse mesmo circo.

"Eu quis cantar
Minha canção iluminada de sol
Soltei os panos sobre os mastros no ar
Soltei os tigres e os leões nos quintais
Mas as pessoas na sala de jantar
São ocupadas em nascer e morrer

Mandei fazer
De puro aço luminoso um punhal
Para matar o meu amor e matei
Às cinco horas na avenida central
Mas as pessoas na sala de jantar
São ocupadas em nascer e morrer

Mandei plantar
Folhas de sonho no jardim do solar
As folhas sabem procurar pelo sol
E as raízes procurar, procurar

Mas as pessoas na sala de jantar
Essas pessoas na sala de jantar
São as pessoas da sala de jantar
Mas as pessoas na sala de jantar
São ocupadas em nascer e morrer"
(Panis et Circenses)




Viva, sinta-se vivo! Grite, chore, ame, pule, sorria, de gargalhadas, sinta!! Não tenha vergonha de si próprio! Bem vindo a vida!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Soldado da Paz


"Não há perigo
Que vá nos parar
Se o bom de viver é estar vivo
Ter amor, ter abrigo
Ter sonhos, ter motivos pra cantar...
Armas no chão
Flores nas mãos
E o bom de viver é estar vivo
Ter irmãos, ter amigos
Vivendo em paz, prontos pra lutar...
O soldado da paz não pode ser derrotado
Ainda que a guerra pareça perdida
Pois quanto mais se sacrifica a vida
Mas a vida e o tempo são os seus aliados"

(Herbert Viana)

Hoje pela manhã, ouvi essa música dos Paralamas do Sucesso chamada Soldado da Paz. Não me recordo em que época ela foi composta, só sei que não é velha, mas também nem tão nova, enfim, confesso não ser grande fã da banda, apesar de admirar a poesia do Herbert Viana e essa música de arranjo simples, em especial, me chamou a atenção, principalmente pela letra, um incentivo para nossa juventude que anda fraca de bons pensamentos, talvez pela falta de esperança.
Tenho passado por momentos difíceis. Aliás, quem não passa por momentos difíceis? Mas posso dizer de cabeça erguida que consigo dormir sempre com a consciência limpa, tendo a certeza de que tenho feito o meu melhor e fazendo o possível para ajudar o meu próximo da maneira que eu puder, seja com algo concreto, com um pensamento ou com mesmo com um simples sorriso.
Acredito que o que tem levado o mundo ao abismo é a falta de esperança. O povo se conformou com a situação. Ninguém ajuda ninguém (claro que existem excessões), cada um só pensa no seu próprio benefício. Além de tudo, o homem está destruindo a natureza, inclusive o seu habitat natural, e já está sofrendo as conseqüências, como temos vistos todos os dias no noticiário.
Precisamos abrir os olhos, meu povo! Vamos nos unir, vamos pregar o amor e a amizade, esquecendo os preconceitos, respeitando as individualidades, sem julgamento e com esperança, vamos ter fé e abrir mão do materialismo. O mundo ainda tem solução, basta dar-mos as mãos!

Por Tchezar

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Mais um selo!!

Mais um selo.

Semana passada o Ponderamentos Meus ganhou um selo da Lívia do blog Caminhando entre Panos (http://www.caminhandoentrepanos.blogspot.com/).
Apesar desse tempo afastado, sem conseguir postar e acompanhar outros blogs, ser lembrando assim é uma grande felicidade!
Isso até da um incentivo para aos poucos conseguir retomar as atividades normais aqui.

Muito obrigado,
Tchezar

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Vencer


"Vencer a si mesmo
Vencer os outros não chega a ser uma grande vitória.
Vitorioso é aquele que consegue vencer a si próprio, equilibrando impulsos, combatendo seus vícios e controlando suas paixões.
A vitória sobre nós mesmos é árdua, extremamente difícil. Ela requer mais coragem, mais disciplina e mais decisão.
Mas, se você não conseguir na primeira vez, tente de novo. O simples fato de tentar já será sua primeira vitória.
Cada dia pode ser um grito de vitória, se a harmonia inundar o coração.
Vença!"

By Tchezar

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Pétalas


Luz alta que de flores fizeste
A mais bela das canções
De brilho perolado, forte...
Singela e de simplicidade complexa

Tocais como pétalas de rosas
O coração daquele que mal respirava
Que agora sente o ar da paixão
Do aroma da dama-da-noite todas as noites

Que à luz das estrelas vem deleitar
Pelos caminhos claros já não ocultos
Do olhar do cavalheiro que se pôs a chorar
Toda manhã. quando a dama-da-noite parte
E as pétalas de rosa secam na campina
Ardendo pela paixão daquele que não queria mais amar


sábado, 26 de setembro de 2009

Ele "Toka"


Violão na mão e toka na cabeça
Ele toka
A canção soa
Toka no coração
Alegria e emoção
Sentimentos que tokam
Almas tokadas
Almas felizes
A verdade sorri
A irmãdade chora
Na lembrança daquele
Que hoje não toka seu violão
Mas continua tokando nossos corações
A canção toka novamente
Amizade, alegria, respeito
Sempre juntos
Expontaneo assim...
Almas tokadas que sempre tokarão

Dedicado em memória ao amigo Rodrigo "Toka" Lacerda,
que deixou este mundo para "tokar" e alegrar
outras belas almas lá no céu...


Por Tchezar

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Deus também quer rir...



Triste, realmente triste, mas Deus levou nosso amigo para fazer graça no céu...
A ficha ainda não caiu. Ainda não nos conformamos com o que te aconteceu, meu amigo... Como assim? O Toka...?
Pois é... Encarar a realidade as vezes é difícil... Mas para o Toka não era... Ele encarava a vida de maneira espontânea, com alegria, e, mesmo nos momentos difíceis o bom humor e seu jeito único de ser estavam presentes! Ele vivia!! Não era perfeito, como qualquer outro ser humano, mas se tem uma coisa que ele sabia fazer, é viver!!

A dor que sentimos uma hora vai passar... A saudade, teremos que aprender a conviver com ela, e o que realmente fica são as belas lembranças dos bons momentos que passamos juntos, das tantas risadas, das aventuras malucas, das viagens sem grana, das baladas miadas, dos sonhos, do futuro... Peraí: "futuro ou não?", como o próprio dizia! Sonhar sim, mas temos que viver o presente, pois não sabemos se amanhã estaremos de pé... Viver intensamente cada segundo, a sua maneira, no seu rítimo, deixar que a vida nos conduza para o que ela achar que é melhor para nós.

Toka, hoje, nós amigos Twogueders, choramos por você! Mas pode ter certeza de que amanhã estaremos rindo das velhas histórias, assim como você sempre fez e nos ensinou. Triste ter que abrir os olhos com uma tragédia como esta... Mas, orgulhoso de ter participado dessa sua tão breve, porém grandiosa vida!

Salve Rodrigo "Toka" Lacerda!
Always Twogueder, living twogueder... Always!

Do seu brother "Tchezita"

sábado, 8 de agosto de 2009

O clarão


Na falta da fala
Na fala que cala
Quando digo sim
Quando digo não
Ao som do ouvido
Ao ouvido surdo
Onde tudo é tudo
E tudo é nada
No nada que vaga
Na vaga da escada
Em degraus que sobem
Degraus que descem
Coerência plena
Completa confusão
Um espaço aberto
O estreito corredor
O largo diáfano
O covil da escuridão
O clarão

Por Tchezar

* Ilustração: André Yamamoto

terça-feira, 4 de agosto de 2009

A Via Lactea

Aos meus leitores, desculpem-me pela ausência.
Prometo-lhes que em breve retornarei com as atividades normais aqui no blog. O trabalho anda exigindo boa parte do meu tempo e acabei não conseguindo voltar aqui, além do fato de, enfim, após bastante insistência de algumas pessoas, tomei coragem para dar início ao meu livro.
Então, por hora, deixo essa pequena homenagem a minha amada com seu poema predileto...



Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto,
E abro as janelas, pálido de espanto...

E conversamos toda a noite enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E ao vir do Sol, saudoso e em pranto
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado-amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Têm o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."

("A Via Láctea" - Olavo Bilac)

terça-feira, 14 de julho de 2009

Rastros Humanos

Aos freqüentadores do meu blog, me desculpem pela falta de artigos próprios que sempre foi uma característica daqui. Hoje eu até ia publicar algo de minha autoria, mas decidi abrir espaço aqui para divulgar uns slides que eu recebi hoje pela manhã.
Se não podemos fazer muito, então que cada um faça um pouco... A Terra precisa, mais do que nunca, da nossa ajuda!

TENTE ADIVINHAR O QUE SÃO AS IMAGENS A SEGUIR:
(se a visualização estiver ruim, clique nas imagens para ampliar)

Isso não é uma pintura...
São 106 mil latas de alumínio jogadas no lixo a cada 30 segundos!

E isso?


São 170 mil pilhas que são produzidas a cada 15 minutos.

E aqui?


1 milhão de copos plásticos jogados no lixo em vôos comerciais a cada 6 horas.

E esta?



200 mil embalagens de cigarros, igual ao número de americanos que morrem a cada seis meses devido ao cigarro.

Isso é
ARTE DO LIXO
Essas fotos fazem parte da exposição "Running the Numbers, an AmericanSelf Portait", do fotógrafo Chris Jordan e, chamaram a atenção para os milhões de objetos que se acumulam no planeta, bem distante do alcance dos nossos olhos.
Os números mencionados foram descobertos em estudos sobre quantidades de lixo descartado, considerando apenas o caso dos Estados Unidos. Agora imagine se todos os países fossem considerados?
A degradação do ambiental é resultado do efeito cumulativo das ações de cada um de nós...
Por isso a solução também está em casa um de nós...
Colabore com o planeta! Pense antes de consumir!
GIA - Grupo de Impacto Ambiental

Publiquei apenas alguns casos. Poderia colocar mais imagens, mas o post ficaria enorme. Se alguém quiser copiar ou repassar para alguém, sinta-se a vontade! Vamos ajudar a divulgar! Vamos nos conscientizar. Nosso planeta está pedindo socorro há tempos! Vamos salvá-lo! Vamos nos salvar!



segunda-feira, 13 de julho de 2009

Porque comecei a escrever...

Essa é uma breve história de como comecei a escrever.

Primeiramente começo explicando que sou neto de japoneses, logo, venho de uma cultura machista, rígida e fria e sendo assim o mundo das palavras tornava-se algo distante de mim. Além disso, não tenho registro de familiares que se envolveram no mundo das artes. Passei minha infância toda, dos 4 aos 13 anos numa cidadezinha do interior paulista, uma cidade sem muita expressão e com pouca cultura. Por esses motivos eu não tinha motivo algum para me envolver no mundo artístico.

Aos 12 anos de idade comecei a tomar o gosto pela música. Apesar de poucas “ferramentas”, procurava me informar sobre bandas e tentar de alguma maneira descobrir novas músicas além das que eu ouvia nas rádios.

Aos 15 anos resolvi que montaria minha própria banda, aprenderia um instrumento e tentaria fazer minhas próprias canções e, mesmo sem nunca ter pego nem uma gaita na mão, reuni uns amigos com o mesmo propósito e logo começamos o projeto de banda.

O início foi difícil, tive que comprar minha primeira guitarra escondido e não tinha dinheiro para fazer aulas. Tive que aprender meus primeiros acordes sozinho. Era divertido, a cada música nova que eu aprendia, minha vontade de aprender mais, aumentava. Aos poucos fui tentando apurar meus ouvidos para começar a compor minhas próprias músicas.

No início eu me espelhava nas bandas que eu gostava na época, como Metallica, Sepultura, Raimundos... As letras eram simples e não falavam praticamente nada. Era pura futilidade, apesar de ser bastante divertido.

Alguns anos depois, passei a ampliar minha visão musical e apreciar coisas novas (na verdade, muitas coisas velhas também). Comecei a apreciar a música nacional, virei fã de Vinícius de Moraes, Toquinho, Tom Jobim, Chico Buarque e outros artistas dessa leva. Voltei a ouvir rock nacional também, de bandas que eu ouvia quando comecei a entrar na adolescência, como a Legião Urbana, Barão Vermelho e os Paralamas do Sucesso. Claro que junto a essa miscelânea nacional, também continuei explorando o rock de fora, tendo sempre na cabeceira um cd dos Beatles, Oasis, Radiohead, a maioria eram britânicos, apesar de constatemente me ver encantado por algum artista do jazz, blues e trip hop´s, além dos Mutantes e Novos Baianos que hoje em dia fazem parte fundamental da minha vida.

Agora devem estar me perguntando. O post não era sobre como eu comecei a escrever?

Pois é... A música foi a chave de tudo. Começando pelas belas letras de Renato Russo e Cazuza que escreviam lindos versos com perfeição e críticas com inteligência e a partir daí às poesias de outros músicos, que passei a admirar a arte de escrever.

E foi assim que a palavra escrita ganhou força para mim. Passei a apreciar a poesia de outros poetas e de pequenas letras, passei a tentar escrever pequenos versos, de versos poesias, buscando meu próprio estilo, minhas próprias verdades. Não que eu escreva bem ou que eu queira ser um poeta ou escritor, mas descobri que as palavras têm o poder de nos libertar, nos permitindo alçar grandes vôos através do infinito. Percebi que não precisamos ser complexos e que com simplicidade, também podemos fazer brotar a beleza, que não precisamos de palavras difíceis para fazer um sorriso ou uma lágrima. Simplesmente devemos soar aos nossos corações.


sábado, 11 de julho de 2009

Sobre a crise mundial

Texto do Mentor Muniz Neto, diretor de criação e sócio da Bullet, sobre a crise mundial.

"Vou fazer um slideshow para você. Está preparado?

É comum, você já viu essas imagens antes.
Quem sabe até já se acostumou com elas.
Começa com aquelas crianças famintas da África.
Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.
Aquelas com moscas nos olhos.

Os slides se sucedem.

Êxodos de populações inteiras.
Gente faminta.
Gente pobre.
Gente sem futuro.

Durante décadas, vimos essas imagens.

No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.
Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.
São imagens de miséria que comovem.
São imagens que criam plataformas de governo.
Criam ONGs.
Criam entidades.
Criam movimentos sociais.

A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza.
Ano após ano, discutiu-se o que fazer.
Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.

Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo.

Resolver, capicce? Extinguir.

Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta.
Não sei como calcularam este número.
Mas digamos que esteja subestimado.
Digamos que seja o dobro.
Ou o triplo.Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.

Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.
Não houve documentário, ONG, lobby ou pressão que resolvesse.

Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia. Bancos e investidores.

Como uma pessoa comentou, é uma pena que esse texto só esteja em blogs e não na mídia de massa, essa mesma que sabe muito bem dar tapa e afagar.

Se quiser, repasse, se não, o que importa? O nosso almoço tá garantido mesmo..."

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Três Conselhos

Um casal de jovens recém-casados. Eram muito pobres e viviam de favores num sítio no interior.
Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:
- "Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e enquanto eu estiver fora, seja FIEL a mim, pois eu serei fiel a você. "

Assim sendo, o jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda. O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar. No momento em que foi aceito, pediu para fazer um pacto com o patrão:

- "Deixe-me trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações. Eu não quero receber o meu salário. Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora. No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".

Tudo combinado. Aquele jovem trabalhou durante vinte anos, sem férias e sem descanso.

Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:

- "Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa."

O patrão então lhe respondeu:

- "Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem? Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou lhe dou três conselhos e não lhe dou o dinheiro e você vai embora. Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta. "

Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe: -"Quero os três conselhos."

O patrão novamente frisou: -" Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro."

"Quero os conselhos." Disse o empregado.

O patrão então lhe falou:

1. NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.

2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.

3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.

Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:

"Aqui você tem três pães, estes dois são para você comer durante a viagem e este terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa.“

O homem então seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele tanto amava.

Após primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou:

- "Pra onde você vai?

- "Vou para um lugar muito distante. - Ele respondeu - que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada."

O andarilho disse-lhe então: - "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez, e você chega em poucos dias."

O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal. Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.

Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se. Pagou a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir. De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor. Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito. Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho.

Voltou, deitou-se e dormiu.

Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou se ele não havia escutado gritos durante a noite, e ele respondeu que sim. O hospedeiro perguntou-lhe se não estava curioso a respeito, e ele respondeu que não.

- “Você é o primeiro hóspede a sair daqui vivo, pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite... E quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.”

O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.

Depois de muitos dias e noites de caminhada... Já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa. Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só.

Andou mais um pouco e viu que ela tinha entre as pernas, um homem a quem estava acariciando os cabelos.

Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.

Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho.

Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.

Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele pensou: - "Não vou matar minha esposa e nem o seu amante. Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta. Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre fui fiel a ela".

Dirigiu-se à porta da casa e bateu.

Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço e o abraça afetuosamente.

Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então, com lágrimas nos olhos lhe diz: - "Eu fui fiel a você e você me traiu..."

Ela espantada lhe responde: - "Como? Eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos!"

Ele então lhe perguntou: - "E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?"

- "Aquele homem é nosso filho! Quando você foi embora, descobri que estava grávida. Hoje ele está com vinte anos de idade."

Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café. Sentaram-se para tomar café e comer juntos o último pão.

Após a oração de agradecimento, com lágrimas de emoção, ele parte o pão e, ao abrí-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação!

Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade... Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará... Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois...

Espero que você, assim como eu, não se esqueça desses três conselhos e que, principalmente, não se esqueça de ter fé, confiança e esperança (mesmo que a vida, muitas vezes já tenha te dado motivos para a desconfiar e desacreditar) sempre!!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Esperanza


Vidas
Em linhas lineares ou vias tortas
Sempre um rumo
Destinos

Por caminhos tortos também pode-se chegar

A bonança ainda está lá

Felicidade

É construída a cada dia

Em pequenas ou grandes doses

A visão

Muitas vezes ofuscada

A poeira as vezes impede de enxergar

A realidade

Nem sempre é tão cruel

Muitas vezes a visão é que está turva
O amor
Este, tem morrido aos poucos
Mas basta uma faísca para que ele sempre renasça
A esperança
A mãe de todos, sempre presente
Mesmo que em forma de instinto
Nunca deixe-a só


Selo: J'ADORE TIEN BLOG

E o Ponderamentos Meus ganhou mais um selo: J´Adore Tien Blog:

É com prazer que recebo mais um selo indicado pelo Paulo do blog They Watch Us.
Aliás, muito obrigado por sempre lembrar do meu blog! Isso sempre da um ânimo a mais!

As regras:
1. Colocar o selo no blog;
2. Indicar 10 blogs que a gente adore;
3. Informar aos "premiados";
4. Dizer 5 coisas na vida que adore e porquê.


Como estou um pouco sem tempo, vou indicando os blogs aos poucos, ok?

1 - Música, porque ela liberta a alma e nos faz voar longe.
2- Minha família, porque a cada dia tenho aprendido que é o nosso porto-seguro, nossa base.
3- Fazer um som com meus amigos, porque é sempre um momento único de alegria.
4- Viajar, pois sempre da uma renovada nas energias.
5- Dias ociosos em que ficamos na cama, vendo um filme, comendo porcarias e sem horário para nada. Depois que a gente começa a não ter tempo pra nada, damos o maior valor para isso, rs!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Pura felicidade


Veja a beleza
Oh, e que beleza!
O sol, o mar, a praia
Na brisa leve que espalha a areia
Desenhos se formam pelo chão
A criança volta, o velho vai embora
As ondas vem brindar o dia
Brincam de roda, roda-roda...
Na ciranda mais bela que alguém já pode ver
Supracitado, embora sem clara descrição
O olhar proverbial já quase extinto
Declama a totalidade da felicidade
Sem explicação, a simples provação
De felicidade, simplicidade e humildade
De quem deixou de sobreviver
E aprendeu o que é realmente viver

p.s.: inspirado na primeira vez em que vi meu pai na praia...

By Tchezar

terça-feira, 30 de junho de 2009

Sobre o post abaixo

Aos meus leitores, peço desculpas pela ausência e pelas fracas palavras descritas no post anterior.
A fase introspectiva, somada a falta de tempo não estão me permitindo criar coisas novas.
Só para acrescentar ao post anterior, minha intenção era deixar uma pequena mensagem para dizer que o mundo é o mesmo para todos nós, independente das oportunidades, tudo faz parte de uma escolha, e dentre essas escolhas, a felicidade também se inclui.
As vezes, basta mudar-mos o foco e tentar enxergar as coisas por um outro ponto de vista.
O sol brilha igual para todos. Aí você me diz: "o fulano de tal tem mais sorte do que eu, minha vida é uma droga". E eu lhe respondo: a sorte é criada por nós mesmos. O que você fez ontem para ter sorte hoje? O que você fez hoje para que seu dia seja melhor amanhã? Pondere sobre isso...

O sol do vizinho


Os dias, as noites, as horas
Estalos, murmúrios, barulhos
Pessoas, pessoas, pessoas...
O medo, a angústia, o temor
Por que não levantar?
O sol do vizinho bate mais forte que o meu
Calúnias, julgamentos, apontamentos
As horas passam e as unhas somem
Pela janela vejo o sol nascer...
Revejo a vida, reflito, suspiro
Um raio de luz está nascendo
O sol do vizinho é o mesmo que o meu
Os pássaros, as pessoas, os amores
A vida, a alegria, a esperança
O calor, o frescor, o sabor...
Tudo é diferente, tudo é igual
É tudo meu, é tudo nosso
O sol que nos da a vida é o mesmo para todos nós

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Timidez


Num quiproquó de idéias nulas
As palavras ascendem desordenadamente
Os sentimentos se estapam
As emoções se anulam
E os momentos parecem não ter apenas um fim
Num piscar de olhos, a ilusão
No afago das mãos, a erupção
Quiseras eu dizer-te as palavras
E não apenas chorar a emoção
A boca calada gostaria de soar
Enquanto o calor no peito continua a suar
O cintilar dos olhos que desviam dos seus
Não negam a quimera de estar contigo
Despeço-me como outro dia qualquer
Em passos lentos para seu perfume respirar
É mais um dia que se vai
Menos um dia para o meu sonhar
O amanhã é o meu presente
Até o dia em que teu perfume me guiar

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Chorando estrelas


Chorava todas as noites
Horas e horas olhando para o céu
Os dias de sol aos poucos se extinguiam
Raiando e se pondo num segundo
Assim, triste e simplória era sua vida
Nada além do que seus olhos podiam ver
Distante do amor que lhe doía aos prantos
Outrora conversava com as estrelas
Elas lhe confortavam, lhe mandavam flores
Singelas e brilhantes, elas também cantavam
Tocavam o coração da menina que chorava
Relentares, luzindo até o amanhecer
Ela agora sorria, sorria para a vida
La fora sentia o perfume das flores
Agora, todas as noites ela olha para o céu
Somente chorando estrelas

por Tchezar

terça-feira, 16 de junho de 2009

Aos meus leitores

Primeiramente queria me desculpar pela ausência aqui no blog.
Passei por um período introspectivo e um tanto atarefado. Acabei ficando sem tempo para escrever e visitar outros blogs.

Ainda não tenho nada de novo preparado para o blog, mas vou expor uma "idéia" que eu estava ponderando por esses dias...

Sabe, tem horas que nos vemos encurralados por todos os lados. Viramos para a direita e vemos uma centena de pessoas reclamando, cheias de problemas, aborrecidas, tristes, depressivas, irritadas ou no máximo com um sorriso falso e amarelado. Nos viramos para a esquerda e aí nos deparamos com os problemas sociais, com a maldade, com a arrogância, com a ganância... Então, seguimos em frente, como cavalos, sem olhar para os lados e aí batemos de frente com nossos próprios problemas, questionamentos e conflitos internos. É a hora em que acabamos parando e olhando para trás e só conseguimos ver coisas ruins, momentos difíceis e tudo aquilo que não conseguimos conquistar, nossas frustrações e decepções.
Pois é... Não é fácil encarar a vida. Os desafios e os problemas são coisas constantes e que parecem não ter fim. Mas você já parou para fazer uma auto-análise? Será que não é você quem complica sua própria vida?

Ao longo dos meus (poucos) 25 anos, sei que ainda tenho muito para viver e aprender, mas garanto que já passei e vi de tudo um pouco, desde a vida simples no interior, com uma infância humilde, até o caos da cidade e o glammour dos ricos.
Hoje, vejo que o aprendizado mais valioso que já tive em toda minha vida, foi aprender a ter uma visão holística para analisar o mundo de uma maneira geral e principalmente aprender a enxergar o valor da simplicidade que se sobressai na complexidade da vida, apurando meu "paladar" para as pequenas coisas que esquecemos, pequenos gestos e presentes que a vida nos dá e que nem ao menos percebemos ou que desvalorizamos.
Não sou ateu, apesar de não participar de nenhuma religião. Acredito que todas as religiões possuem sua força e seu lado bom e que elas são apenas um caminho para se buscar a fé e elevar sua alma à um ponto mais alto e bonito.
Nesses tempos de caos em que vivemos, acredito ser importantíssimo cuidar da nossa alma e da nossa mente da mesma maneira que cuidamos do nosso corpo. Independente do que você acredita, nunca perca sua fé e não se esqueça de cultivá-la diáriamente.
O momento pede que aprendamos o desapego para voltar-mos a enxergar a simplicidade complexa mais pura e bela do mundo para que possamos enfrentar as coisas ruins e voltar a ver a felicidade em tudo o que vivemos.
Vamos voltar a acreditar no amor e nas pessoas! Vamos nos unir numa corrente do bem, cada um fazendo o seu papel da melhor maneira possível, um pouco a cada dia.

E para você que não acredita em contos de fadas por achar que sua vida é um lixo, lembre-se que em todos os contos, antes do "viveram felizes para sempre", o destino colocou milhares de barreiras difíceis de passar onde só o amor foi capaz de enfrentá-los.

As energias negativas do mão estão tentando nos derrubar e as pedras nos nossos caminhos parecem ser infinitas, mas lembre-se que com fé, esperança, amor e união podemos passar a pela tempestade e curtir a bonanza.

Vamos ser felizes meu povo!! Vamos dar as mãos e sorrir!!
A vida é bela! Basta saber vivê-la!

Um grande abraço


sábado, 6 de junho de 2009

Green Peace: Black Pixel Project

O Green Peace lançou uma campanha muito bacana para incentivar a economia de energia. É o Black Pixel Project.
O que seria isso? É simples... Você acessa o site do projeto e instala uma quadradinho preto que ficará a mostra no seu pc, um detalhezinho apenas que ajuda a economizar 0,057 watts por hora. Segundo estudos realizados, 1 milhão desses black pixels instalados podem economizar o equivalente a 1.425 lâmpadas por hora. Pode parecer pouco, mas durante 1 ano, a economia é verdadeiramente signifiativa e você não perde nada ajudando.
Vamos colaborar com o mundo. Para participar da campanha, acesse:
http://www.greenpeaceblackpixel.org/#/pt/projeto

É rápido, fácil e não custa nada. Parabéns ao Green Peace por mais esta iniciativa.

Para quem quiser copiar o post e publicar em seu blog, sinta-se a vontade!Acesse também: http://www.greenpeace.org

sexta-feira, 5 de junho de 2009

A arte de enfrentar

Aceitar desafios é saber viver com intensidade
O enfrentar é o que nos move para frente
Mesmo em queda, errante ou deslizante
O horizonte distante se aproxima
Apenas aos que sabem ponderar o otimismo
Na arte de viver, quem olha para a frente sempre segue
Não hesitar, não olhar para trás, apenas lembrar
Para se fortalecer, para não ter que voltar
Ao pessimista, apenas o esperar
Sem movimento, sem direção
Em voltas e mais voltas
O colapso às vezes nos derruba
Levante-se, é hora de enfrentar
E de cabeça erguida
Sem chutar, apenas deixe a pedra para trás
Siga em frente, enfrente...
Sempre

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Chorando versos


Aqueles amigos, velhos amigos
O choro, o riso, o ombro e o ouvido
A infância passou, a juventude reinou
E a vida adulta abortou
Embora montanhas
Contratempos em contramão
A essência persiste
A evolução
Ah! Agora sei que ela existe
E de pedras e farrapos fazemos vinho
No frio que arde em vidas secas
O amigo ainda está lá
Chorando versos
Com sua viola na mão
Distante do corpo
Perto da alma
Dentro do coração

Por Tchezar

domingo, 31 de maio de 2009

Blog de Ouro!!

FELICIDADE!!
A Giullianne do blog D.o.m.o. me presenteou com o selo "Blog de Ouro".

Estou muito agradecido pelo reconhecimento. Muito obrigado de verdade!
E aproveito também para agradecer a todos que passam por aqui. Em 3 meses, esse é o quarto selo que eu ganhei e isso é realmente bastante motivador!

Agora vou postar as regras do jogo:
Regras:

1 - Exiba a imagem do selo "Blog de Ouro".
2 - Poste o link do blog que te indicou.
3 - Indique 4 blogs de sua preferência.
4 - Avise seus indicados.
5 - Publique as regras.
6 - Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras


E meus indicados são:

They Watch Us
Mais Do Que Palavras

Valeeu!!